sábado, 5 de fevereiro de 2011

Meus poetas preferidos (16)

Chorik

Legítimo japa made in Paraguai. Ele diz que não é poeta
mas os melhores versos que tenho lido ultimamente são
dele. Confiram uma amostra.

Akira.


O olhar de adeus
é de uma frieza cortante,
fatia nosso coração
em finas camadas de solidão.

Carpaccio de dor,
temperado a desamparo
e sofreguidão.

Chorik.

8 comentários:

  1. O Paraguai, como um irmão nosso, merece também uma poesia dessa, do Toshiro Chorik hehe. Um meio haicai no final (não sei se seguiu as regras do haicai. Mas o olhar de adeus dá a sofreguidão universal!!

    ResponderExcluir
  2. Carlos Alberto - zelador do Brooklin6 de fevereiro de 2011 01:41

    Eita ferro..hein..ja comecei este meu matinal domingo desopilando a alma, depois de ler uma perola destas...essencialmente lindo...parabens Chorik.

    ResponderExcluir
  3. Cê tá de brincadeira, Akira-san! Obrigado de qualquer forma. Lisonjeado aqui com a homenagem.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Thiago,
    Um haikai meio paraguaio, hehe, mas qualquer groselha que o Mifune Chorik fala ganha uma dimensão universal.

    ResponderExcluir
  5. Carlos Alberto,
    Desopila mesmo, véio, com o Chorik não tem meio termo, é calça de veludo ou bunda de fora.

    ResponderExcluir
  6. Chorik-san,
    É brincadeira mas é sério.

    ResponderExcluir
  7. Chorik é, sim, um poeta de mão cheia!!!

    ResponderExcluir