terça-feira, 16 de julho de 2013

João Caetano

os olhos do poeta são tímidos
frágeis, eu diria quase infantis
mas lá na suas profundezas
cintila severa a dureza do aço
áspera vontade que não verga

a voz do poeta é doce e mansa
é a mais gentil voz que já ouvi
pássaro de comovente ternura
promove ventos, encantamento
e abranda o coração mais rude

akira – 15/07/2013.

Um comentário:

  1. O poeta tímido revelou-se... e a nós restou deslumbramento!!!

    ResponderExcluir