domingo, 23 de fevereiro de 2014

dormentes


calam-se dormentes
em seu descanso de pedras
deitados entre os jardins
helena, noêmia e romano

alastram-se adormecidos
em seu leito ferroviário
em completa solidão
e silencio tão surdo

dormem como uma criança
os jardins das oliveiras
e o itaim paulista completo

dormem em silencio tão limpo
que não sei mais a diferença
entre silencio e esquecimento

akira – 20/02/2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário