terça-feira, 28 de setembro de 2010

Clarice


de tão imprevista e inconstante
clarice  é assim uma espécie
de noturno e bissexto cometa
que só raramente aparece
seu destino é vagar errante
explorando a solidão dos planetas
e a dor das galáxias distantes
onde assombra as noites escuras
com seu facho de fogo brilhante

de tão irregular e itinerante
com clarice  às vezes acontece
de perder a certeza do chão
e querer em meu colo repousar
meu obediente colo de cão
mas é só por um breve instante
assim como chega sem avisar
de novo ela logo desaparece
num vôo luminoso e inquietante

de tão bipolar e tão mutante
clarice não consegue suportar
padrões, processos ou rotinas
nem pertencer a um só lugar
sua maldição é vagar constante
condenada a seguir e nunca ficar
somente dos partos das estrelas
e das fomes dos buracos negros
seus olhos sabem se alimentar.

akira yamasaki.

10 comentários:

  1. reserva muito colo para esse domingo... quero coloooo !

    saudades, te amo!

    ResponderExcluir
  2. Uau. Conhceço a Claire a pouco tempo mas já me apaixonei. Consegui enxergá-la tão bem nas suas palavras que até chorei um pouquinho. Simplesmente lindo.

    ResponderExcluir
  3. já até enxergo o sorrisão dela quando leu o texto.

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Cumpadre!!!

    Tenho lido todos os seus poemas...acompanhei "o bate-bola" ..gosto quando consigo perceber "as sutilezas" nas palavras...imaginar a cena...pessoas...(e vc sabe que de sutilezas eu não entendo muito...rsrs).
    Mas meu amigo esse poema de Clarice foi "na alma". Vi clarice "desnuda"..vi clarice desde pequena querendo aprender rápido "dar a mãozinha para as letrinhas prá ver como ficava". Vi clarice "cheirando tantos perfumes" quando fomos ao Shopping...vi Clarice falando "madrinha vou morar sózinha"...enfim vi uma sagitariana "nata" indo pro que der e vier e vi o grande amor que temos por ela!!!
    um grande abraço prá vc e cumadre!!!
    Fá.

    ResponderExcluir
  5. Akira...
    Gostei dessa Clarice. Livre, como só a liberdade permite.
    Me pareceu dolorido, apenas, para o narrador (poeta). Não ouvi de Clarice, sequer um "ai" de lamento; ela me pareceu conforme com o seu lugar nenhum/todo lugar. É assim que se constrói as histórias/"destinos" pessoais, ou como diria paulo coelho: as "lendas pessoais".
    Clarice se constrói/desconstrói pelos caminhos; por aonde vai, e explora e assombra, sobretudo, os "cosmos" interiores de quem se vê diferente.
    Linda poesia.
    Abração; mande mais!
    Zé Carlos Batalhafan – 30/09/2010.

    ResponderExcluir
  6. clarice (2)

    chorei por entender o teu apego
    de silencioso leão marinho
    sentado na boca da noite
    sonhando com o seu aviãozinho
    vivendo uma vida de agruras
    por onde também tem espinho.

    senti as palavras pesadas
    como pedras jogadas no vento algoz
    que leva e traz a menina luz
    que tão bem se porta entre vós
    quando chega é uma gata angorá
    quando vai é uma estrela veloz.

    fiquei bem por saber a façanha
    dessa estrela que tece o escuro
    que dá voltas pelo firmamento
    mas que não se perdeu no monturo
    e que tráz o saudoso conforto
    ao colo onde alimenta o futuro.

    mas nem tudo está perdido
    o mugido do velho leo é forte
    no seu pulso ainda tem a mesma ira
    das borrachadas que lhe fizeram corte
    e denso, tenso, olha ludicamente bravio
    consola prá suportar santa sorte.

    sacha arcanjo (30/09/2010).

    ResponderExcluir
  7. Juliana Tomaz de Lima Muito lindo!!
    Tuesday at 9:56pm

    Claire Yamasaki esses pais da gente são incríveis né?!
    Tuesday at 10:08pm

    Claire Yamasaki o meu e o seu, também ♥
    Tuesday at 10:08pm

    Denise Trombani nossa claire. até chorei um pouquinho. lindo lindo
    Tuesday at 10:37pm

    Claire Yamasaki eu fiquei mto emocionada também... ele é incrível, vou levá-lo pra conhecer vcs um dia...
    Tuesday at 10:39pm

    Denise Trombani adoraria conhecê-lo. ele deve ser muito especial ❤
    Tuesday at 10:44pm

    Claire Yamasaki hahaha ele foi lá na anália uma vez, amanhã eu te conto..
    Tuesday at 11:00pm

    Priscila Kubo ‎"assim como chega sem avisar
    de novo ela logo desaparece" sei bem como é, tio akira.
    Tuesday at 11:28pm

    Daniela Ianovali Lindo mesmo Claire!! um pai poeta é duro, né?! rsrs
    Wednesday at 11:52am

    Sueli Kimura a gente acha que o Akira não está nem aí, que nos ignora compulsoriamente, mas quando escreve um poema nos desnuda descaradamente

    ResponderExcluir
  8. Akira, que lindo poema, só um pai com muita sensibilidade pode criar uma obra dessas.

    abs de Edvaldo Santana


    Hasta la vista !!!
    Acesse o site: http://www.edvaldosantana.com.br

    ResponderExcluir
  9. Carlos Alberto-Zelador do Brooklin8 de outubro de 2010 02:29

    Akira, Outro dia li este poema,Clarice, muito apressado e sem me atinar.
    Agora cedo no desembocar da madrugada, vim aqui rele-lo, calma e tranquilamente...salvou minha sexta feira...simplesmente dramatico e lindo muito lindo o poema como também deve ser Clarice que ainda não tive o privilegio de conhecer...parabens me caro.

    ResponderExcluir
  10. Estou sem micro no momento por isso demorei pra ler!
    Lindo, me emocionei. Me lembro mais da Clarice bebê + - 3 anos, carinha sapeca, linda.
    Obrigada por me incluir em sua lista. Amei!
    Joyce Migri – 19/10/10.

    ResponderExcluir